“Continuo buscando, re-procurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar e anunciar a novidade”. Paulo Freire

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Bichinhos de Jardim










Turma da Mônica

Bem Vindos para a porta




Cartaz com Oração da turma

Ajudante do Dia

Coelhinho da Mônica


Cartaz do Tempo

Chamadinha


Cascão

Aniversariantes da Turma



Mural para a exposição dos trabalhos da turma

Cartaz para leitura
Mais uma sugestão de Bem Vindos para a porta


Rosinha



Zé Lelé


Ursinho Pooh












quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

A prática de educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades:

· Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações;

· Descobrir e conhecer progressivamente seu próprio corpo, suas potencialidades e seus limites, desenvolvendo e valorizando hábitos de cuidado com a própria saúde e bem-estar;

· Estabelecer vínculos afetivos e de troca com adultos e crianças, fortalecendo sua auto-estima e ampliando gradativamente suas possibilidades de comunicação e interação social;

· Estabelecer e ampliar cada vez mais as relações sociais, aprendendo aos poucos a articular seus interesses e pontos de vista com os demais, respeitando a diversidade e desenvolvendo atitudes de ajuda e colaboração;

· Observar e explorar o ambiente com atitude de curiosidade, percebendo-se cada vez mais como integrante, dependente e agente transformador do meio ambiente e valorizando atitudes que contribuam para sua conservação;

· Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

· Utilizar as diferentes linguagens (corporal, musical, plástica, oral e escrita) ajustadas às diferentes intenções e situações de comunicação, de forma a compreender e ser compreendido, expressar suas idéias, sentimentos, necessidades, desejos, e avançar no seu processo de construção de significados, enriquecendo cada vez mais sua capacidade expressiva;

· Conhecer algumas manifestações culturais, demonstrando atitudes de interesse, respeito e participação frente a elas e valorizando a diversidade.

Sugestões de atividades para a construção de um ambiente alfabetizador:

• Eleger um nome para a turma.
• Verificar quais alunos estão presentes (chamada) com fichas que tenham o nome e a foto das crianças.
• Confeccionar uma lista de chamada.
• Confeccionar uma lista de músicas que a turma gosta de cantar.
• Organizar um canto de biblioteca (dentro da sala).
• Ter sempre um calendário.
• Confeccionar um cartaz com os combinados.
• Confeccionar a rotina e utilizá-la dela ao longo do ano.
• Confeccionar a caixa de palavras.
• Confeccionar a caixa de textos.
• Trabalhar atividades variadas com o crachá e a ficha do nome próprio.
• Ler, cotidianamente, e propiciar livros e enciclopédias ilustradas para a criança manusear.
• Brincar de jogo de memória, baralho ou dominó com o nome próprio, com letras e números ou ainda rótulos que as crianças estão habituadas a manusear.
• Estimular a criança a dar respostas antecipadas através de jogos de adivinhação (inferências).
• Oferecer objetos diversos, estimulando a identificação deles, percebendo suas diferenças e semelhanças (classificação).
• Oferecer quebra-cabeça de objetos familiares, composto inicialmente de poucas partes. Ao longo do ano você poderá aumentar a dificuldade da atividade.
• Dar comandos com duas ou três proposições relacionadas. Ex: pegue a bola e chute para o alto.
• Mostrar várias gravuras com objetos iguais para que comecem a verbalizar o plural (faça o mesmo com gênero).
• Oferecer à criança lápis preto e deixá-la escrever livremente.
• Trabalhar com pinturas diversas: guache, anilina, dedo, pincel atômico, canetas hidrocor, aquarela, etc.
• Oferecer recorte de jornal ou encartes e pedir à criança que identifique os produtos conhecidos.
• Fazer o reconto de notícias do jornal, rádio ou televisão.
• Solicitar que antecipem com gestos e ações as atividades de rotina (memória).
• Fazer a pseudo-leitura dos combinados da turma, colocando limites, estabelecendo as regras básicas.
• Estimular a criança a repetir pequenos poemas ou canções.
• Oferecer lápis diversos, giz, etc. para as crianças fazerem reescrita de histórias, parlendas, poesias, não levando em conta o seu tipo de escrita.
• Ler pequenas histórias, recontá-las e solicitar à criança que as repita a seu modo, mas sem vícios de linguagem.
• Fazer brincadeiras simbólicas.
• Fazer e registrar (o professor é o escriba) o reconto coletivo dos jogos e brincadeiras vivenciados pela turma e expor este registro na sala. Use as ilustrações das crianças para
• Fazer a produção coletiva dos recontos feitos pela turma dos livros trabalhados da literatura infantil. Nesse caso, o professor é o escriba e o texto coletivo deve ficar exposto, por um tempo, no ambiente da sala de aula. Use as ilustrações das crianças para contextualizar o registro. 
Durante o trabalho com parlendas:
• desenvolver e ampliar a linguagem oral das crianças;
• ampliar o repertório lingüístico;
• ampliar o repertório acerca da cultura popular;
• apropriar a criança com a escrita, registro formal por meio dos cartazes em forma de diagramação;
• produzir trabalhos de arte, utilizando a linguagem do desenho, da pintura, da modelagem, da colagem, da construção, desenvolvendo o gosto, o cuidado e o respeito pelo processo
de produção e criação.
Durante todo o desenvolvimento do trabalho devemos:
• explorar as possibilidades de gestos e ritmos corporais para expressar-se nas situações de brincadeiras, jogos e movimentações corporais que acompanham a parlenda. Reconhecer
elementos do próprio corpo por meio de exploração das brincadeiras.
• estimular a criança a apreciar suas produções e as dos outros, por meio da observação.
• explorar e manipular materiais, como lápis, pincéis, giz de cera, etc. de meios como tintas, água, areia, etc. e de variados suportes gráficos, como jornal, papel, papelão, caixas, etc.
• utilizar a linguagem oral para falar ou contar a parlenda, expressando seus desejos e sentimentos.
A parlenda é um texto que preserva o lúdico e possibilita um exelente trabalho pedagógico, pois ela diverte, ensina e desenvolve as condições psicosociais da criança. Sempre é acompanhada por um encadeamento de ações que possibilita uma série de vivências significativas no ambiente escolar. Vocês poderão desenvolver um projeto acerca das parlendas e produzir um Livro individual ou coletivo usando revista velha, com papel Kraft, ou outro, colado nas páginas (este será nosso suporte). Trabalhe com a turma as parlendas produzidas, destacando as rimas ou letras que queira ressaltar e deixe que a criança faça as ilustrações. Organize-o sempre com a revista aberta de forma que, de um lado da página, apareça o texto e do outro, o trabalho de colagem, desenho, mosaico ou a técnica que você preparar para cada situação. Ao final do trabalho, convide os pais para a apresentação da turma. Após o sarau, presenteie-os com o livro. Ao longo da vivência do projeto, dê à criança a oportunidade de avaliar a construção do trabalho, mediando-a sempre que necessário. Monte um texto com as falas das crianças sobre as parlendas.
contextualizar o texto.

Total de visualizações de página

Marcadores

"Se quisermos modificar algum coisa, é pelas crianças que devemos começar." (Ayrton Senna)

Páginas